Juó Bananére faz o Enem

Mignos caríssimos amici.

Embora io segia o giurnaliste maise affamato da Mooca, addove io moro adispoise que a migna casa no Abaix’o Pigues (o ladera da Memorie, come dígono os rapaizigno) fui demolita, arresorvi aprestá u tar de Enem, o Insamo Nazionale do Insino Médio, purque io tegno o sogno di sê ingeniere civile di quando io ero un mulequigno. U, que bô si eu passava!

O grande prubleme è qui a scuola addove io tigna di fazê u insamo stava occupata pur uns vagabôndimo i io fiqué pra segonda leva. Tuttas gente mi aparlô: “Juó, cuidado c’a redaçô. Si vucê tirá un brutto zero, perde tuttos insamo”. Maquê io tirá uno zero! Io sono giurnaliste i barbiere antes de o Vílio Vacco nascê, porca pipa! E o Vílio Vacco non sabe afazê as barba com io! Io sono arfabetizádimo desde os migno sei mesos i agiudê u Uáizimo a rivizá as Costituçô, no millenovescentossissantassette e no millenovecentosottantaotto. Os bolítico, assi que mi via pelos corridoio, si nascondeva tuttos, purque illos son tuttos burro, maise burro di una porta. Maise burro du Lixandro Frotte coa Carola Pirese!

Chigué na scuola e adispoise que o inspetore aparlô tutto o qui tigna di aparlá (come parla ista gente!), deu as fogligna coas questió i maise a foglia pra iscrivê a redaçô; io fize tuttas questió i tigna duas horases pra afazê a redaçô. U tema era: “camignos pra gombattê o razzílimo nu Brasile”. Facile maise d’un boio.

Come io guardé u rascugno, metto qui pra vostra come io sono bô nistas cosa. E’ certo que vô tirá um deize.

Pra aprarlá do prubleme do razzílimo nu Brasile, vô cuntá un caso personale migno. Ma non è di nero, perquê d’istas cosa tuttos mondo già sabe. E io tengo un amico, o Benedetto, que è mais pretto d’una latta di pixe. Vô aparlá di quando io chiguê nu Brasile.

Ningué gustava dos italiano. Os guattrocentô axingava a gente tuttos di burro, di gargamano, di varridore di rua i artras cosa inda meno bunita. Quando io giuntê os aramo necessaro, muntê o migno saló de barbiere (perquê io sono barbiere e giurnaliste), ma solo os migno patrizio que vigna cortá o gabello e afazê a barba. Os baolista passava na porta i ogliava pra drento con una gara xiigna di disprêzzimo.

Un die, passó un giovinotto, tuttos bunito i bé-visiido. Io stava na porta, cumendo una raranxa. Illo ogliô bê pra mim i mi disse baxigno:

— Ô sô gargamano. Dixe de sê porco, oglia a mundiça que vucê stá fazendo. E’ assi que vucê cumia na sua terra, sô gara di gavallo?

Io non resisti. Piguê illo pelos colarigno i disse:

— O sô guattrocentô di mezza tigélia, o que vucê está aparlando? Vucê vai inguli tuttas istas parola giunto c’os dente!

Io non sô un uômino viulento, ma aquillo mi fizo fervê o sânguino inda as vêia. O uomigno recuô uns passo, spaventato.

— Io sô rappresentante di una razza que suffreu molto, sô animale! I si questa cittá cresce è purquê noi garregamo illa nas costa. E vucê, que è? Un vagabôndimo, un gianotta gabeçadura, um morfadigna.

As parola congelaro na guela do gara di palo.

— O signore mi discurpe…

— Discurpá un’ova! Vucê offende tutto un popolo i adipoise vé con ista conversigna molle di discurpa? Noi entramo inda a Tribolitânia, combattemo os turcoses. I vucê, pedacigno de pastelo, u que vucê feze?

O uomo foi-s’imbora. Na frente da migna babieria tigna um montô di gente apuladindo: intaliano, baolista, brasiliane, libanese inté o Gerardigno Álquime, o santigno, que è di Pignagnognangabe, i o Zuluio das Parmada, o uôminio que aliderô o popolo no Quilômbolo das Parmada.

Sissignhore. O razzílimo a gente combate con postura, come as galligna. També era bô un poquigno de auzílio do guvêrnimo, que podia coloca nas scuola uns curso pra gente aprendê a sê maise educata. A famiglia è a base di tutto: pircisa inducá os bambino desde a crexe. As organizaçô guvernamentale ma non troppo, as ONGs, pircisa fazê coro. Prima di tutto: rispetto!

Anúncios

1 Comentário

Filed under Sem categoria

One response to “Juó Bananére faz o Enem

  1. Digno do autor – meu conterrâneo – de La Divina Encrenca.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s